Cooperativas independentes debatem desafios da gestão em encontro do Sescoop/SP

 

Diferenciadas por não se organizarem em torno de um sistema ou central, as cooperativas de crédito independentes têm necessidades específicas para atender às exigências de um mercado altamente regulado. Em resposta a esses desafios, visando ao fortalecimento e à organização desse segmento do cooperativismo financeiro, o Sistema Ocesp realizou no dia 14 de março mais um Fórum Técnico das Cooperativas de Crédito Independentes. O evento aconteceu no auditório do Banco Central do Brasil na capital paulista, reunindo mais cerca de 65 participantes e 18 cooperativas.

Presente à ocasião, o presidente do Sistema Ocesp, Edivaldo Del Grande, destacou a importância das cooperativas independentes para todo o sistema cooperativista de crédito. “São cooperativas buscando o desenvolvimento, trabalhando e se empenhando para melhorar a vida das pessoas. Crescimento de 20% em um momento de crise significa que vocês são especiais e fazem a diferença em nosso movimento cooperativista”, avalia o dirigente.

Além do presidente Del Grande, participaram da solenidade de abertura o coordenador do Conselho Consultivo do Ramo Crédito (CECO/SP), Emerson Assis; o deputado estadual e coordenador da Frente Parlamentar do Cooperativismo no Estado de São Paulo (Frencoop/SP), Davi Zaia; e a chefe adjunta do Departamento de Supervisão de Cooperativas e de Instituições Não Bancárias do Banco Central, Sandra Lúcia Castro.

Durante o fórum técnico, os participantes puderam se atualizar sobre alguns dos principais temas de interesse do setor, entre eles: Gestão e Governança Corporativa para Cooperativas de Crédito Independentes, Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop, atuação do Conselho Consultivo Nacional do Ramo Crédito da OCB. Além disso, foi apresentado o case boas práticas da cooperativa de crédito Coopmil, vencedora do prêmio Sescoop Excelência de Gestão em 2017.

Depoimentos

“O mais importante para as cooperativas independentes é elas entenderem que precisam falar em uníssono para serem ouvidas por quem faz as resoluções. O grande risco para nós são as resoluções que vão sangrando a nossa capacidade de sobreviver, na medida em que aumentam as nossas despesas por exigências cada vez maiores na gestão”.

Fábio Luz, presidente da Medcred e representante das cooperativas independentes no CECO/SP.

“É muito importante qualquer manifestação de organização e de voz que a gente consiga obter conjuntamente. Se a gente ficar isolado, cada um no seu canto, não vamos alcançar algumas conquistas que são importantes para nós”.

João Gilberto Souza, presidente da Credisan e representante das cooperativas independentes no CECO/SP.

Clique aqui para acessar o conteúdo das apresentações realizadas durante o evento

ERRATA:

No boletim SP Cooperativo no dia 21/3/2018, foi divulgado o número de 31 participantes e 15 cooperativas. A partir da recontagem do número de participantes que assinaram a lista de presença, os números iniciais foram revistos.

Inserir Comentário